Home » BRASIL

Arquivos da categorias

Sem reagir, comerciante é morto com tiros na cabeça dentro de mercadinho na Grande Natal; veja vídeo

Crime aconteceu na manhã desta quarta (13) em São Gonçalo do Amarante. Ninguém foi preso.

Rendido, e deitado de costas no chão, ele estava praticamente imóvel quando levou os tiros (Foto: Reprodução/vídeo)
Rendido, e deitado de costas no chão, ele estava praticamente imóvel quando levou os tiros (Foto: Reprodução/vídeo)

Um comerciante de 45 anos foi morto a tiros na manhã desta quarta-feira (13) dentro de um mercadinho em São Gonçalo do Amarante, cidade da Grande Natal. As câmeras de segurança do estabelecimento registraram o momento em que um dos bandidos, armado com uma espingarda, atira duas vezes na cabeça da vítima (veja vídeo abaixo).

Pelas imagens, repassadas pela polícia, é possível ver que Jailson Cruz de Souza não esboça qualquer reação. Deitado com a barriga no chão, ele estava praticamente imóvel quando levou os tiros. O mercadinho fica na rua São João, no bairro Guajiru.

As câmeras também mostram a chegada dos bandidos. Um deles entra no mercadinho já com a espingarda em punho. O relógio marcava 6h11. Enquanto o assaltante que fez os disparos mantinha o comerciante sob a mira da espingarda, o comparsa saqueava o caixa. Após os disparos, os criminosos fogem correndo.

A Polícia Militar ainda fez buscas pela região, mas não encontrou nenhum suspeito. O caso será investigado pela Delegacia de Polícia Civil da cidade.

Mercadinho fica na rua São João, no Guajiru, em São Gonçalo do Amarante (Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi)

g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte

Petrobras quer que Gleisi Hoffmann devolva R$ 1 milhão aos cofres da empresa

O pedido foi encaminhado ao ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), na ação penal em que a senadora foi denunciada por corrupção e lavagem de dinheiro.

Nas alegações finais sobre o caso, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu que os três réus, além de condenados, fossem obrigados a pagar R$ 4 milhões em indenização aos cofres públicos, quatro vezes mais do que o R$ 1 milhão que teriam sido desviados da Petrobras para irrigar a campanha de Gleisi ao Senado em 2010.

Segundo a denúncia apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), Paulo Bernardo teria solicitado a quantia ao ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa, que teria providenciado o pagamento por meio do doleiro Alberto Yousseff.

Na condição de auxiliar de acusação, a Petrobras pediu que, a partir dessa indenização, seja ressarcida em, ao menos, R$ 1 milhão, valor “inequivocamente, desviado dos cofres da requerente [Petrobras], através de estratagemas acuradamente analisados e reconhecidos pela acusação em suas considerações finais”.

No requerimento, a Petrobras volta a afirmar ter sido a maior vítima dos esquemas de corrupção revelado pela Operação Lava Jato desde 2014.

Até a publicação da reportagem, a Agência Brasil não conseguiu contato com os acusados. A senadora Gleisi Hoffmann e o ex-ministro Paulo Bernardo sempre negaram qualquer irregularidade.

A requerida [senadora] jamais praticou qualquer ato que pudesse ser caracterizado como ato ilícito, especialmente no bojo do pleito eleitoral ao Senado Federal no ano de 2010, na medida em que todas as suas contas de campanha foram declaradas e integralmente aprovadas pela Justiça Eleitoral”, afirmou a defesa de Gleisi Hoffmann no curso da ação penal. 

(Via: Agência Brasil)

Eletrobras será privatizada na época da eleição

Uma das maiores operações do gênero na história do país, a privatização da Eletrobras vai ocorrer entre setembro e dezembro de 2018, diz Wilson Ferreira Júnior, presidente da estatal, à coluna. A coincidência com as eleições para presidente no Brasil não prejudicará a atratividade da emissão de ações, afirma.

Nem investidores estrangeiros, nem brasileiros veem problema. Se tem uma oportunidade em um negócio de 30 anos, não tem nada a ver com eleição. Não tenho dúvida de que há interesse, porque são as últimas [usinas] no país. Depois delas, o mapa fica quase completo.”

A privatização encontra resistência na Câmara e no Senado, inclusive de membros da base do governo.

Se ela não ocorrer, vende-se usina a usina. A Eletrobras ficaria com todos os custos e perderia a capacidade instalada de 14 mil megawatt-hora (MWh), uma Itaipu. A Eletrobras aguenta? Duvido.”

A troca de mãos da empresa será feita por aumento de capital. O governo não colocará recursos, sua fatia na companhia diminuirá, e ele perderá o controle societário.

A União terá uma “golden share“, que lhe dará o voto decisivo em temas estratégicos. A desestatização vai incluir Chesf e Furnas, frisa.

O projeto de lei será encaminhado na semana que vem, diz. “Essa é a agenda do ministro [Fernando Coelho Filho, das Minas e Energia.] 

(Por Maria Cristina Frias – Folha de S.Paulo)

Brasil deixou recessão para trás, diz Temer na Argentina

O presidente Michel Temer declarou neste domingo (10) que a economia do Brasil deixou a recessão para trás com a recuperação dos empregos e do crescimento industrial. Temer discursou hoje na cerimônia de abertura da 11ª Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), em Buenos Aires, Argentina.

O Brasil de hoje deixou para trás a recessão, nossa economia se recupera, cria postos de trabalho e a produção industrial tem crescido. As taxas de juros recuaram a seu menor patamar histórico, a inflação é a mais baixa de muitos anos seguidos”, disse Temer diante dos líderes integrantes da OMC.

Em sua mensagem, o presidente disse ainda que o país está levando adiante uma “ambiciosa agenda de reformas para modernização do Brasil, o que envolve necessariamente maior e melhor inserção na economia global”.

Mercosul

O presidente destacou no discurso que o Mercosul tem resgatado sua vocação original para o livre comércio e reforçou o compromisso de manter o diálogo entre os países e fortalecer o comércio multilateral. Temer ressaltou o multilateralismo como um sistema fundamental para ampliar o comércio, os investimentos, gerar empregos e prosperidade, além de ser capaz de “conter tendências protecionistas” e trazer segurança jurídica em momentos de disputas comerciais.

O isolamento não é solução, é ilusório pensar que o protecionismo seja o caminho sustentável para o desenvolvimento ou para o bem estar dos povos. Quando nos fechamos a nós mesmos, nos fechamos para novas tecnologias, a novas ideias e novas possibilidades. O que de fato traz desenvolvimento, o que de fato traz bem-estar é mais e mais integração

Temer defendeu a OMC e sua atuação na discussão de temas considerados novos como a economia digital, facilitação de investimentos, pequenas e médias empresas e também na resolução de temas antigos como comércio agrícola, que classificou como “um passivo urgente a resgatar”.

A reunião ministerial da OMC ocorre a cada dois anos para definir mandatos, avaliar o funcionamento da organização, tomar decisões e eventualmente lançar rodadas de negociação entre os países. As últimas edições foram sediadas em Bali e Nairobi.

Durante o evento, que ocorre até a próxima quarta-feira (13), os representantes de cada países discutirão propostas sobre subsídios agrícolas e pesca, além de medidas para as áreas de comércio eletrônico, facilitação de investimentos, pequenas e médias empresas e reforço de acordos em medidas fitossanitárias.

O presidente Temer e os líderes do Uruguai, Paraguai, Peru, Suriname, Colômbia e México assinaram a Declaração de Buenos Aires, em que reforçam o compromisso de fortalecer o comércio multilateral.

Há ainda a expectativa para que o acordo entre o Mercosul e a União Europeia seja concluído na conferência.  No entanto, os pontos mais sensíveis das negociações entre os blocos, a carne e o etanol, devem ficar de fora do acordo.

Agência Brasil

Mourão busca seu palanque – e encontra

Desta vez, nem se tratou de concordar, apoiar ou discordar. O comandante do Exército, general Eduardo Villas Boas, não tinha outra opção senão a de entregar a cabeça do verborrágico general Antonio Hamilton Martins Mourão que em palestra a convite do grupo Terrorismo Nunca Mais (Ternuma), no Clube do Exército há dois dias, elogiou a pré-candidatura presidencial do deputado e capitão da reserva do Exército Jair Bolsonaro (PSC-RJ), voltou a defender a intervenção militar como solução para a crise política e afirmou que o presidente Michel Temer faz do governo um “balcão de negócios” para se manter no poder.

É reincidente. Não há outra alternativa”, comentou um dos generais da reserva que apoiaram Mourão quando, em setembro, ele defendera a intervenção militar em uma palestra na Loja Maçônica Grande Oriente, também em Brasília: “Ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso”, afirmou daquela vez.

A solução para Mourão foi dada em 24 horas, tempo gasto em decidir que ele seria destituído do cargo de secretário de Economia e Finanças do Comando do Exército e avisar-lhe que seria despachado para a Secretaria-Geral do Exército. E não tinha como ser diferente. Mourão se tornou um problemaço na Força, onde é cada vez maior a insatisfação com a crise econômica e com a situação política.

Basta consultar as redes sociais frequentadas ou mantidas por militares para ter certeza de que o clima está muito ruim e que há uma busca ansiosa por candidatos que representem esse pessoal. Haja visto também o apoio que Bolsonaro vem tendo inclusive entre oficiais que até um tempo atrás olhavam com desdém para as ideias e o discurso do capitão/deputado.

Pessoas que conhecem o general Mourão – que ao Estadão/Broadcast disse que suas declarações são mal interpretadas e que seu afastamento do cargo era uma “movimentação normal” – observam que ele está não com um, mas com os dois pés no palanque. Portanto, essas mesmas pessoas não acham que sejam impensados os discursos dele. A menos de quatro meses de entrar para a reserva, Mourão só está semeando palavras para colher votos em outubro de 2018.

 www.mikaelsampaio.com

Professora simula sexo oral em aluno e internautas questionam a atitude

Resultado de imagem para PROFESSORA SIMULA SEXO ORAL EM ALUNO E INTERNAUTAS QUESTIONAM ATITUDE; VEJA VÍDEO

Um vídeo que tem circulado na internet esta semana tem acendido discussões sobre os limites da educação sexual. Nas imagens, uma professora é vista simulando sexo oral em um aluno, enquanto ensina os estudante sobre como colocar o preservativo no órgão sexual masculino.

Os alunos, que aparentam ser maiores de idade, parecem estar participando de um evento temático sobre saúde. A educadora pede que um dos estudantes segure um pênis de borracha e, com isso, ela faz a demonstração, seguida de risadas e aplausos do grupo. Ainda não há informações sobre o local onde as cenas foram gravadas, mas há suspeitas de que tudo aconteceu em uma faculdade com cursos voltados para a área da sexologia.
Ao ser divulgado na internet, o vídeo causou discussões, principalmente depois que políticos o compartilharam em suas redes sociais. “Daqui a pouco isso vira matéria do ENEM. Não é para rir, estou falando sério!”, escreveu o deputado federal Eduardo Bolsonaro. O também Deputado Federal Paulo Eduardo Martins comentou: “Imagine o que essa educadora entende por ‘escola integral’”.

Vídeo: YouTube

sertaoafora.blogspot.com.br

Para aprovar Reforma da Previdência, Temer perdoa até os ‘traidores’

Um dia eram aliados. No outro, traidores. Semanas depois, voltam a ser cortejados e têm grandes chances de reatarem o relacionamento. O Governo Michel Temer (PMDB) colocou em seu radar cerca de 30 deputados federais que devem ser agraciados com cargos para votarem a favor da reforma da Previdência. A maioria desse grupo é formada por parlamentares que são de partidos da base governista, mas que acabaram votando contra Temer em ao menos uma das duas denúncias criminais contra ele que foram barradas na Câmara.

A estratégia de comunicação e de convencimento do Governo para conquistar entre 50 e 70 votos não deu certo até agora. O objetivo é atingir uma margem de 320 votos, 12 a mais do que o mínimo para aprovar a proposta de emenda constitucional 287, que muda as regras de aposentadoria. No início da semana, depois de várias reuniões entre líderes de bancadas, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), sinalizou que poderia pautar a votação da reforma da Previdência para a semana entre os dias 11 e 15.

Mas a falta de apoio explícito dos legisladores fez com que ele mudasse de ideia. Agora, trabalha para levar a proposta a voto na última semana do ano parlamentar, entre os dias 18 e 22, quando Brasília já começa a ficar esvaziada. O problema dessa votação ocorrer nesse momento é que também poderá haver um conflito com a votação da peça orçamentária de 2018. Se não a votarem, os congressistas não entram oficialmente em recesso.

Além de devolver os cargos aos traidores, a gestão Temer iniciou uma abertura dos cofres. O ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, anunciou a três governadores do Centro-Oeste a liberação para os Estados de R$ 1,9 bilhão do fundo de exportações, dinheiro que estava represado há meses. O presidente também entrou em acordo com a bancada mineira, a liberar R$ 250 milhões para área de saúde e mais R$ 350 milhões para a conclusão de obras na rodovia BR-381, que corta os Estados de São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais.

Estratégia

Aos prefeitos, já garantiu a liberação de R$ 2 bilhões como auxílio financeiro por meio do Fundo de Participação dos Municípios. Ainda promete mais R$ 3 bilhões para 2018, caso a reforma seja aprovada. O presidente vê nos chefes dos executivos municipais uma espécie de cabos eleitorais, capazes de ajudá-lo a convencer os deputados.

Em outra linha de ação, as executivas dos partidos aliados estudam “fechar questão” sobre a votação da Previdência. Ou seja, os parlamentares serão orientados a votar a favor da reforma. Caso não o façam, podem ser punidos com sanções internas ou até a expulsão da legenda. Quem puxou a fila, foi o PMDB, do próprio presidente Temer, que tem 60 parlamentares. Depois, foi o PTB que decidiu punir os divergentes. São mais 16 votos. O PSDB, que está prestes a entregar dois de seus três ministérios, orientou seus 42 parlamentares a aprovarem a proposta, mas não definiu sanções. O PP também deve fechar questão nos próximos dias.

Na teoria, a oposição teria pouco mais de 110 votos para derrubar a reforma de Temer. Na prática, contudo, conta com a adesão ao seu grupo de parlamentares do próprio PMDB, do PSDB, do PR e do PSD. Todos da base de Temer. Uma das estratégias dos opositores é tentar empurrar a votação para o ano que vem, quando ocorrerão eleições e, dificilmente, a Câmara conseguiria analisar a proposta. Se aprovada na Câmara, o Governo quer que o projeto seja votado no Senado no máximo até o fim de março, exatamente para evitar uma possível contaminação da votação pelas campanhas eleitorais.

El Pais/foto reprodução arquivo

Rogério 157 aparece algemado e sorridente em selfies com policiais, após prisão

Imagens foram compartilhadas em redes sociais e mostram agentes felizes. Em uma delas, o próprio traficante aparece sorrindo.

Algemado e sorridente, Rogério 157 posa para selfie com policial (Foto: Redes sociais)
Algemado e sorridente, Rogério 157 posa para selfie com policial (Foto: Redes sociais)

Imagens de policiais sorridentes ao lado de Rogério 157, instantes após sua prisão, foram viralizadas nas redes sociais nesta quarta-feira (6). Nas fotos, eles aparecem posando para a fotografia ou até mesmo tirando selfies. Em uma delas, o próprio traficante aparece algemado e sorrindo.

Na Cidade da Polícia, onde o caso era registrado, alguns agentes já tinham conhecimento do alcance tomado pelas imagens e criticaram. “Tem gente muito trouxa. Tirar foto com bandido? Parece até que não conhecem o código penal”, disse um policial que não quis se identificar.

O delegado Gabriel Ferrando, um dos responsáveis pela operação que culminou na prisão, disse que ainda não há decisão sobre o que ocorrerá com os autores das fotografias.

“É uma questão que está sendo corrigida. Eu realmente não aprovo. Mas foi um momento de explosão. Foi uma vitória para todo o Rio. Foi um momento de explosão, mas isso já está sendo visto”.

Prisão de Rogério 157

Um dos chefes do tráfico da Rocinha, Rogério Avelino da Silva, o Rogério 157, foi preso nesta quarta-feira (6) de manhã no Arará, Zona Norte.

Ele foi capturado por dois policiais, um da 12ª (Copabana) e outro da 13ª (Ipanema). Segundo os agentes, ele não resistiu à prisão, que ocorreu na laje de uma casa. Ainda de acordo com a polícia, havia seguranças com Rogério quando ele foi localizado, mas os comparsas fugiram com a chegada da equipe. O traficante foi encontrado na casa de uma mulher na comunidade.

Nos últimos meses, depois da guerra na Rocinha, o traficante estava rondando as favelas do Comando Vermelho, sem permanecer muito tempo em nenhuma comunidade.

Segundo o Disque Denúncia, desde o início do ano foram recebidas 434 denúncias contendo informações sobre o traficante Rogério 157 durante operação que ocorre nas imediações da comunidade da Mangueira.

Agentes são fotografados ao lado de criminoso (Foto: Redes sociais)
Agentes são fotografados ao lado de criminoso (Foto: Redes sociais)
Agentes tiraram fotos com Rogério 157 após prisão (Foto: Redes sociais)
Agentes são fotografados ao lado de criminoso (Foto: Redes sociais)
Armada de fuzil, policial posa ao lado de Rogério 157 (Foto: Redes sociais)
Agentes são fotografados ao lado de criminoso (Foto: Redes sociais)

g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro

Moro pede apoio a Temer para prisão de condenados em segunda instância

O juiz federal Sergio Moro, responsável pela Operação Lava Jato, disse que o combate à corrupção não pode andar para trás e pediu o fim do foro privilegiado para autoridades. “Não são aceitáveis retrocessos”, disse Moro.

O discurso aconteceu no evento Brasileiros do Ano, promovido pela revista ISTOÉ, na noite dessa terça-feira (5), em que Moro foi o principal homenageado.

“É necessária a revisão do instituto do foro privilegiado. Primeiro porque ele é contrário ao princípio fundamental da democracia que é o princípio do tratamento igual”, disse o magistrado.

“Eu falo isso com bastante conforto porque eu como juiz também sou detentor desse foro privilegiado e eu não vejo nenhum problema que ele seja retirado dos juízes. Eu não quero esse privilégio para mim”, disse Moro.

Neste momento o juiz foi aplaudido efusivamente pela plateia. O presidente Michel Temer e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Moreira Franco, sentados a poucos passos de Moro, não aplaudiram.

Antes do discurso de Moro, Temer, os ministros Moreira Franco e Henrique Meirelles e o presidente do Senado, Eunício Oliveira, foram os únicos a não se levantar para aplaudir o juiz. Os outros 20 nomes no palco ficaram de pé.

No mês passado o presidente sancionou medida provisória aprovada pelo Congresso que deu status de ministro a Moreira Franco e assim garantiu foro privilegiado ao aliado.

Tanto Temer quanto Moreira Franco são investigados pela Operação Lava Jato. No palco ainda havia outros citados por delatores da operação, como o ministro Helder Barbalho, o presidente da FIESP, Paulo Skaf, e o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), escolhido como o Brasileiro do Ano na Política.

Moro também se dirigiu diretamente a Temer pedindo que o governo pressione o Supremo Tribunal Federal a não mudar o entendimento em relação à possibilidade da prisão de um condenado em segunda instância.

Fez o mesmo com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, ao dizer que é importante manter investimentos na Polícia Federal. “Me parece que alguns investimentos são necessários para o refortalecimento da Polícia Federal”, disse. “Na próxima quinta-feira haverá uma cerimônia em Curitiba em que serão devolvidos para a Petrobras recursos recuperados nesses casos criminais da ordem de mais de R$ 600 milhões”, disse. “Então investir no combate à corrupção é algo que eleva a economia.”

Moro também disse que é preciso diminuir o loteamento de cargos públicos e reformar os tribunais de contas.

Questionado pela Folha sobre defender a Lava Jato ao lado de Temer e outros envolvidos no escândalo, Moro riu. “Vou ficar devendo uma resposta”, disse.

Sobre a revisão pelo STF da possibilidade de rever o cumprimento de pena após decisão em segunda instância, o juiz disse que “ainda acha incerto que vão rever”.

“Outros ministros também podem mudar de posição, então não acho assim tão certo [que revertam o entendimento]”, afirmou.

Perguntado a quais ministros se referia, Moro declinou. “Vou ficar devendo essa resposta.”

Na segunda (4), o ministro Gilmar Mendes, do STF, disse que a prisão após condenação em segunda instância não é obrigatória e que é preciso desconfiar se o Ministério Público tentar ocupar um vácuo de poder.

Em 2016, o Supremo decidiu que a pena poderia começar a ser cumprida depois que um tribunal referendasse a primeira decisão. Gilmar, naquela época votou a favor da execução provisória da pena, mudou de opinião e agora defende que o réu recorra em liberdade.

“Seria possível prender-se. Mas não dissemos que era obrigatória a prisão”, destacou o ministro durante evento em Brasília.

Com informações da Folhapress.

Lula diz que vai continuar a desafiar Moro e a Polícia Federal

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta terça-feira (5), que vai continuar desafiando o juiz Sergio Moro, o Ministério Público e a Polícia Federal a apresentar provas contra ele.

Em um discurso endereçado a estudantes e apoiadores, Lula recomendou que seus simpatizantes prestem atenção no que ouvem porque, segundo ele, “a mentira hoje chega em tempo real”.

“Olha o que estão fazendo comigo neste momento. Eu poderia estar nervoso. Poderia estar irritado. Sei o que querem”, afirmou.

O discurso aconteceu um dia depois de o desembargador João Pedro Gebran Neto concluir seu voto sobre recurso apresentado pelo petista TRF-4 (Tribunal Regional Federal) após a condenação no caso do tríplex.

CONDENAÇÃO

Lula foi condenado pelo juiz Sergio Moro, em primeira instância, e recorreu ao Tribunal Regional Federal em Porto Alegre.

Sem mencionar a decisão, Lula aconselhou os militantes a não se preocuparem. “Não se preocupem comigo. Vocês sabem que tenho nove processos. Nove. O processo contra o Lula é o processo contra as coisas que fizemos no governo”, afirmou ele.

O ex-presidente disse ter desafiado Moro a apresentar um centavo de deslize que tenha cometido. Minutos depois, arrematou: “Vou continuar desafiando o juiz, o promotor e a Polícia Federal”.

Após relatar aos simpatizantes detalhes da operação da PF em sua casa e nas de seus filhos, Lula voltou a cobrar um pedido de desculpas dos agentes da Lava Jato. Disse que, quando encontram evidências, “fazem um carnaval. Quando não encontram, ficam em silêncio”. “Eles resolveram brigar comigo. Resolvi enfrentá-los”.

AZEDUME

O ex-presidente disse que “o país está azedo”, “disseminado pelo ódio”. “Tem dias que você levanta e tem vontade de cobrir a cabeça e voltar a dormir”, disse, durante encontro com alunos do IFES.

Segundo ele, o “alarmismo é uma coisa absurda”. Ao mencionar notícias que antecederam sua visita ao Rio de Janeiro, Lula disse que a violência sempre existiu no Estado.

“Ele está muito mais violento, porque, primeiro, todos os governantes estão presos”.

Ao defender a eficácia de políticas sociais no combate à violência, Lula citou a entrevista do traficante Antônio Francisco Bonfim Lope, o Nem da Rocinha.

“Tem um bandido, Nem, não sei se vocês já viram, que deu uma declaração há quatro anos dizendo que quem mais combateu a violência no Rio fui eu. Ele era chefe do narcotráfico na Rocinha e, por causa do PAC, perdeu 50 homens.”

Com informações da Folhapress.

Rodrigo Novaes volta a protestar contra aumentos no gás de cozinha

Uma mobilização conjunta com legisladores federais contra os aumentos sucessivos no preço do gás de cozinha foi sugerida pelo deputado Rodrigo Novaes (PSD), na Reunião Plenária desta terça (5). O último aumento do valor do botijão para as distribuidoras, anunciado pela Petrobras, foi de 8,9% e, de junho até agora, já houve um acréscimo de 68% no custo do produto.

“Não é possível que a população do Interior vá pagar R$ 100 por um botijão de gás. Tenho visto pessoas voltando a cozinhar com carvão ou com lenha em suas casas”, relatou Novaes.  Para o legislador, a política de preços da Petrobras, que repassa automaticamente as flutuações internacionais dos valores do petróleo para o mercado interno, cria situações “cruéis” com o povo mais carente e demonstra desconhecimento da realidade nordestina pelo Governo Federal.

“Passamos vários anos com o preço do gás num valor razoável, mas depois de quebrar a Petrobras por conta de roubo, querem fazer dela a empresa mais rentável do mundo. Esse aumento é um acinte, uma brincadeira de mau gosto que o povo brasileiro não pode aceitar”, considerou.

Rodrigo Novaes defendeu que representantes da Petrobras e deputados federais e senadores pernambucanos sejam chamados pela Alepe para discutir os aumentos promovidos pela estatal. “Não me lembro de ter visto nenhum integrante da nossa bancada federal se manifestar sobre isso. Aqui na Alepe, não temos a competência legislativa para enfrentar essa questão de maneira mais incisiva, mas não podemos nos calar”, registrou.

 www.mikaelsampaio.com

Por R$ 3 bilhões, prefeitos terão que pressionar deputados a votarem a favor da Reforma da Previdência

Se os prefeitos das mais de cinco mil cidades quiserem ver a liberação de R$ 3 bilhões, terão que ajudar o governo Michel Temer a aprovar a reforma da Previdência. A missão dos gestores municipais é convencer os deputados federais a votarem a favor da proposta. Do contrário, não haverá repasse dos recursos federais.

A condição foi reiterada pelo ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo nesta segunda-feira (04). “Se a reforma não for aprovada este ano, esse dinheiro não existe”, ressaltou.

Com a aprovação da reforma da Previdência, projetamos condições melhores de arrecadação, teremos melhorado a situação das contas públicas. O presidente Michel Temer quer no curso do ano que vem fortalecer ainda mais o chamado pacto federativo. Ele está pensando em conseguir um recurso extra para os municípios, em torno de R$ 3 bilhões“, explicou.

Somente neste final de ano, o governo federal decidiu repassar R$ 2 bilhões que vão ser acrescentados ao Fundo de Participação dos Municípios. “Os R$ 3 bilhões são para investimentos que serão viabilizados em 2018. Iniciado o ano, começam as tratativas. Deputados e senadores vão ser os interlocutores. Serão recursos destinados aos municípios por via dos parlamentares

Para os prefeitos conversarem com o parlamentar. A ideia é que eles façam mobilização, conversem com seus parlamentares e se aprovar a reforma da Previdência, ano que vem o governo fará esse repasse para os municípios“, disse Padilha.

Blog: O Povo com a Notícia

Dançarina anunciou ‘aposentadoria’ minutos antes de morrer: ‘Parece que sabia’

G1 obteve vídeo com a última apresentação de Alessandra. Ela foi atropelada duas vezes ao voltar para casa após o show de Léo Santana e morreu.

A dançarina Alessandra Andrade, de 43 anos, revelou a amigos e familiares, minutos antes de morrer, que a apresentação que havia acabado de fazer após o show do cantor baiano Léo Santana, em São Vicente, no litoral de São Paulo, seria a última de sua vida. O G1 obteve imagens do último número da dançarina, gravado pouco antes do acidente por um amigo da vítima.

Alessandra morreu após sofrer dois acidentes, em menos de cinco minutos, enquanto voltava para casa no último sábado (2).

Ela pilotava uma moto quando, na Rodovia Anchieta, foi atingida por um veículo que não parou para prestar socorro. Enquanto recebia atendimento, um outro carro passou sem reparar na sinalização e atropelou a dançarina, que acabou morrendo.

Rodeada de amigos, a dançarina se apresentou depois do show do cantor Léo Santana (ex-Parangolé) em uma casa noturna de São Vicente. Segundo a amiga e também dançarina Taio Messias, Alessandra parecia abatida antes do show.

Ela estava sempre sorrindo, animada e bem arrumada. No dia do acidente era o oposto. Estava desarrumada, cabisbaixa e cansada“, conta.

De acordo com amigos, esse foi o último registro de Alessandra durante a apresentação (Foto: Reprodução/Facebook)
De acordo com amigos, esse foi o último registro de Alessandra durante a apresentação (Foto: Reprodução/Facebook)

Frederico César, professor de dança, também se apresentou com Alessandra horas antes do acidente e sentiu a colega estranha. Meia-hora antes de ir embora, ela falou que estava “se aposentando” dos palcos. “Ela estava cansada. Chegou a dizer que essa seria a última apresentação dela“, explica Frederico.

Petrobras anuncia sexto aumento seguido no preço do gás de cozinha

A Petrobras anunciou nesta segunda (4) o sexto aumento consecutivo no preço do gás de cozinha vendido em botijões de 13 quilos. Desta vez, a alta será de 8,9%, em média, valendo a partir desta terça.

Desde que a Petrobras iniciou o ciclo de alta, em agosto, o reajuste acumulado no preço do gás vendido em botijões de 13 quilos chega a 67,8%.

Desde 2003, a estatal pratica dois preços para o gás liquefeito de petróleo (GLP, o gás de cozinha): um para os botijões menores e outro para grandes vasilhames ou a granel, mais usado por indústria e comércio. Este último teve reajuste de 5,3% anunciado na semana passada.

De acordo com a Petrobras, se o repasse do reajuste desta segunda for integral, o preço do botijão nas revendas subirá 4%, ou R$ 2,53.

“O reajuste foi causado principalmente pela alta das cotações do produto nos mercados internacionais”, disse a empresa, em comunicado.

De acordo com o Sindigás (Sindicato das Empresas Distribuidoras de GLP), o preço praticado pela estatal está hoje 1,3% abaixo das cotações internacionais do produto.

Instituída em junho, a nova política de preços da companhia para o GLP considera as cotações internacionais, a taxa de câmbio e a margem de lucro. No caso do produto vendido para o mercado industrial, a conta inclui ainda o custo de importação. Com informações da Folhapress.

TJ – Segurança Eletrônica

Prefeitura Municipal de Salgueiro-PE

DIOCESE DE SALGUEIRO

MÉDICOS SEM FRONTEIRA – FAÇA SUA DOAÇÃO

ACESSE O YOU TUBE

DISPONÍVEL PARA ANÚNCIOS

GALERIA DE FOTOS