Home » MUNDO

Arquivos da categorias

logo Real cds
clemilton alencar
maxx gelo
anuncie aqui

Coreia do Norte diz ser inevitável que país lance mísseis contra os EUA

O ministro das Relações Exteriores da Coreia do Norte, Ri Yong-ho, disse neste sábado (23) ser “inevitável” que seu país lance mísseis na parte continental dos Estados Unidos depois que o presidente americano, Donald Trump, chamou o líder norte-coreano de “homem foguete”.

Em discurso na Assembleia Geral da ONU, Ri manteve a escalada retórica entre EUA e Coreia do Norte por causa do programa nuclear de Pyongyang. Trump havia chamado Kim Jong Un de “louco” na sexta-feira (22), um dia depois de Kim ter dito que o presidente americano “tem problemas mentais”.

No sábado, a troca de xingamentos continuou, com Ri dizendo que Trump é “uma pessoa com problemas mentais, cheia de megalomania e complacênciaque está tentando transformar as Nações Unidas em um “ninho de gângsteres“. Ri disse que Trump está em uma “missão suicida”, ecoando uma frase do presidente americano sobre Kim.

President Evil” está no assento dos Estados Unidos, disse, e afirmou que a Coreia do Norte está pronta para se defender caso os EUA conduzam “uma operação para minar nosso quartel general ou um ataque militar contra nosso país.”

O chanceler norte-coreano discursou algumas horas depois de bombardeiros norte-americanos terem sobrevoado espaço aéreo internacional a leste da Coreia do Norte, em mais uma demonstração de força;

Finalmente estamos a apenas alguns passos de completar a força nuclear do país“, disse o chanceler coreano. Ele afirmou que as sanções não tinham efeito sobre a resolução de Pyongyang de desenvolver armas nucleares, cujo objetivo é “atingir um equilíbrio de forças com os EUA“.

Trump havia anunciado na quinta-feira (21) novas sanções a Coreia do Norte, com o objetivo de punir empresas e bancos que fazem negócios com o regime de Kim.
A Coreia do Norte lançou dezenas de mísseis este ano, muitos sobrevoaram o Japão, e tem como objetivo desenvolver um míssil nuclear que atinja a parte continental dos EUA.

O maior teste nuclear de Pyongyang foi no dia 3 de setembro, e o regime ameaça testar uma bomba de hidrogênio no oceano Pacífico.

Blog: O Povo com a Notícia

A inglória guerra da polícia brasileira

Com a polícia demonizada, o bandido tolerado e as prisões repudiadas, não é difícil entender como natural a fragilização da sociedade e o fortalecimento dos criminosos.

Iniciada em 2001, como resposta aos ataques terroristas ao World Trade Center, a missão militar dos Estados Unidos no Afeganistão é uma das incursões em solo estrangeiro mais criticadas naquele país, sendo frequentemente rotulada de mal planejada e, com isso, resultar num elevado número de baixas. Ao longo de seus 17 anos, cerca de 2,4 mil homens das forças norte-americanas foram mortos em combate ou como consequência deste. Na média, 141 baixas por ano, ou 11 por mês. Se são números impactantes para uma operação militar de ocupação territorial em outro país, a ponto de justificar críticas à operação, o que dizer quando indicadores mais graves são registrados onde não há guerra declarada?

Por mais absurdo que pareça, é exatamente isso que se registra no Rio de Janeiro. Nos oito primeiros meses de 2017, como agora amplamente alardeia a mídia, 100 policiais foram mortos no estado, em serviço ou de folga. Foram 12,5 assassinatos de agentes das forças repressivas por mês – mais, portanto, do que soldados na guerra do Afeganistão.

De fato, o colapso da segurança pública fluminense não é recente, tampouco pode ser tomado como surpreendente. O Estado apostou em um modelo midiático de combate ao crime, que teve nas Unidades de Polícia Pacificadora (UPP) seu maior ícone, insistindo-se em ações politicamente corretas de abordagem do fenômeno criminal sob o viés estritamente social. Ideias de prevenção ao crime no médio e longo prazos, sob o clássico pensamento de investimentos em educação, saúde e lazer, enquanto a população e a polícia eram cada vez mais dizimadas pela ação ousada de bandidos bem organizados e aparelhados.

Traçando um paralelo com a medicina, seria como um hospital receber na emergência um paciente enfartando, e o médico receitar-lhe exercício físico e alimentação saudável. Pode até não estar teoricamente errado, mas é completamente inadequado para o momento e absolutamente ineficaz para resolver o problema imediatamente apresentado.

Vamos continuar aceitando como “naturais” as operações em que apenas o policial é que morre?

O resultado, assim, não poderia ser outro. Se a construção da segurança pública se assenta em premissas erradas e destoadas da realidade, as consequências não podem ser positivas, e a alarmante recorrência de assassinatos de policiais é uma das mais cruéis faces desse processo.

O nascedouro da catástrofe policial no Rio de Janeiro remonta a mais de três décadas, contando com boa parcela de cumplicidade da própria sociedade, sobretudo as classes média e alta. Numa época de liberdades sendo expressadas e reafirmadas ao extremo, o consumo de drogas se tornou abertamente tolerado, fazendo com que a figura do traficante fosse necessária – afinal, sem ele não haveria entorpecentes para consumo. E, exatamente para “justificar” sua atuação, abraçou-se a narrativa de que aquele, o bandido, não era o vilão, mas uma mera vítima da sociedade, perseguido por uma polícia cruelmente repressora, para jogá-lo numa cadeia de onde sairia pior. Estava formada a receita: vitimização do bandido, demonização da polícia e contestação das prisões.

Com a polícia demonizada, o bandido tolerado e as prisões repudiadas, não é difícil entender como natural a fragilização da sociedade e o fortalecimento dos criminosos. Estes, organizados e articulados, aumentaram muito seu poder. A polícia, em sentido oposto, sendo vista como vilã, enfraqueceu. A situação saiu de qualquer possibilidade de controle, e hoje os criminosos não apenas enfrentam como verdadeiramente caçam os policiais. E isso não só no Rio.

É uma guerra assimétrica, que só os bandidos assumem, reservando à polícia um enfrentamento desigual, não somente em aparato bélico, mas também em concepção social. Foi necessário que mais de uma centena de policiais viesse a óbito em um único estado para a questão tomar a grande mídia e causar um pouco de indignação, mas basta um único enfrentamento em que é o bandido quem morre para logo se lançar suspeitas sobre a atuação da polícia e cobrar rígida apuração de tudo, com direito a entrevista de representantes das organizações de defesa dos “direitos humanos” no horário nobre do noticiário.

Leia também:A segurança pública, o consenso e o descaso (artigo de Luerti Gallina, publicado em 24 de março de 2017)

Leia também:E quem vai defender a vida do bandido? (artigo de Bene Barbosa, publicado em 14 de novembro de 2015)

O exemplo mais recente se deu em São Paulo. Uma quadrilha fortemente armada, que acabara de assaltar mais uma residência, foi interceptada pela polícia e, em vez de se render, partiu para o confronto, deflagrando um intenso tiroteio. Como resultado, dez criminosos foram mortos, no que prontamente se deveria reconhecer como uma operação exitosa. Porém, o que logo ganhou as manchetes dos jornais foi a possibilidade de ter havido algum excesso policial, pois nenhum agente da lei morreu e os criminosos levaram muitos tiros. Até a Anistia Internacional se pronunciou sobre o caso, firmando a posição de que uma operação em que dez assaltantes morrem não pode ser considerada um sucesso, tampouco natural.

Há de se indagar, então, o que seria “natural”. Será que nosso histórico recente e a situação de caos atual não deixam nenhum legado? Vamos continuar aceitando como “naturais” as operações em que apenas o policial é que morre? Não podemos.

O resgate da racionalidade é absolutamente imperativo. Os valores precisam ser recolocados em seu devido lugar. No confronto com a polícia, natural é o bandido sucumbir. Ponto. Se não o for, cria-se um dantesco enredo, em que ao policial só é dado morrer, pois, mesmo quando vence e elimina o criminoso, sai socialmente derrotado, recebendo a crítica como “prêmio”.

A luta diária da polícia brasileira, assim, é inglória. Morrem mais policiais aqui do que soldados na guerra do Afeganistão, mas, enquanto lá se nutre amplo respeito pelos combatentes, honrados como heróis, aqui, sob uma aura de eterna desconfiança, apenas se põe à espreita do momento em que aqueles vão errar. Este, porém, é o maior erro de todos.

Fabricio Rebelo é coordenador do Centro de Pesquisa em Direito e Segurança e autor de Articulando em Segurança: contrapontos ao desarmamento civil.
http://www.gazetadopovo.com.br/opiniao

Trabalhadores dos Correios entram em greve por tempo indeterminado

Trabalhadores da Empresa de Correios e Telégrafos (ECT) em Pernambuco entraram em greve às 22h desta terça-feira (19) (Foto: Arquivo)

A paralisação dos Correios começou às 22h desta terça-feira (19) em 20 estados e o Distrito Federal. Dos 31 sindicatos ligados à Fentect, somente três ainda não realizaram assembleia: Acre, Rondônia e Roraima.

A greve envolve os trabalhadores dos sindicatos de Alagoas, Amapá, Amazonas, Bahia, Brasília (DF), Campinas (SP), Ceará, Espírito Santo, Goiás, Juiz de Fora (MG), Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Paraná, Pernambuco, Piauí, Ribeirão Preto (SP), Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Maria (RS), Santos (SP), São José do Rio Preto (SP), Sergipe, Santa Catarina, Uberaba (MG) e Vale do Paraíba (SP). Segundo a Fentect, a paralisação é parcial, com redução de funcionários nas agências.

Já os Correios informaram que a paralisação não afeta os serviços de atendimento e está concentrada na área de distribuição. As agências franqueadas não estão participando da greve. Atualmente, são mais de 6.500 agências próprias dos Correios pelo país, além de 1 mil franqueadas.

A paralisação deverá afetar as entregas e prejudicar os consumidores que dependem dos serviços da estatal postal.

Com informações do G1

Morre, aos 65 anos, o jornalista Marcelo Rezende

Ele foi vítima de falência múltipla dos órgãos em consequência de um câncer, informou o Hospital Moriah.

O jornalista Marcelo Rezende (Foto: Reprodução/Facebook/Marcelo Rezende)

O jornalista Marcelo Rezende morreu, às 17h45 deste sábado (16), em São Paulo, aos 65 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos em consequência de um câncer, informou o Hospital Moriah.

Rezende foi diagnosticado no início do ano com câncer no pâncreas com metástase no fígado. Ele se afastou do comando do programa Cidade Alerta, da TV Record, para fazer o tratamento de quimioterapia. Ele estava internado no Hospital Moriah, na Zona Sul de São Paulo.

Em um vídeo postado no dia 3, Marcelo Rezende falou sobre os altos e baixos do tratamento contra o câncer. “O que eu tenho, a doença que eu tenho, o câncer que eu tenho, tem altos e baixos, é como uma montanha-russa. Uma hora eu to lá em cima, outra hora eu to lá embaixo. O mais importante é que eu estou firme e estar firme é aqui, onde a mente funciona. E eu estou firme para enfrentar os baixos, até chegar o momento em que o alto vai deslizar e aí a cura vai chegar. E eu tenho certeza dela porque Deus está comigo, Deus está contigo“, disse o jornalista.

Marcelo Luiz Rezende Fernandes nasceu no Rio de Janeiro, em 12 de novembro de 1951.

Começou sua carreira como repórter esportivo nos anos 70 do Jornal dos Sports. Trabalhou em O Globo, revista Placar e chegou à TV em 1987 para trabalhar na Globo. Entre os destaques está a cobertura do caso da operação da polícia na Favela Naval, em Diadema e a apresentação do programa Linha Direta. Trabalhou também na Band e Rede TV.

O jornalista deixa cinco filhos e dois netos. 

Veja íntegra da nota da TV Record:

A Record TV informa com grande pesar o falecimento de Marcelo Rezende, neste 16 de setembro de 2017, no Hospital Moriah, zona sul de São Paulo. Transmitimos nossas sinceras condolências ao familiares e amigos do jornalista com o qual tivemos a honra e o privilégio de trabalhar e que atuou com tanto brilhantismo em nossa programação.

O apresentador estava afastado do Cidade Alerta desde maio, quando descobriu um câncer no pâncreas e no fígado. Ele estava no comando do programa desde 2012 e ali imprimiu a sua marca, expondo os problemas de segurança pública do País com a coragem que sempre pautou sua trajetória, transformando o Cidade Alerta em um importante canal de denúncias. “Esse jornalismo que eu e alguns companheiros fazemos é o jornalismo que revela as mazelas do País“, disse ele.

Com mais de 40 de carreira, Marcelo Rezende deixa um grande legado ao jornalismo do Brasil e da Record TV. Sua trajetória foi sempre guiada pela coragem em tocar em feridas sociais. Do flagrante de abuso policial na Favela Naval, em Diadema (SP), à corrupção no futebol, passando pelos inesquecíveis depoimentos de Francisco Assis Pereira, o Maníaco do Parque, e do ex-goleiro Bruno. Rezende foi um repórter investigativo de raro talento e um apresentador polêmico que não tinha medo de expor suas opiniões. Alguns dos episódios mais marcantes de sua carreira ele narrou no livro “Corta pra Mim”, lançado em 2013 pela editora Planeta, que tornou-se rapidamente um best-seller.

Rezende iniciou sua carreira na mídia impressa, aos 17 anos, no Jornal dos Sports, em sua cidade natal, no Rio de Janeiro, e atuou como jornalista esportivo por um longo período. Atuou no jornal O Globo e em seguida na Revista Placar, da editora Abril, até que, por fim ingressou na televisão, em 1988, quando foi trabalhar no Globo Esporte. A carreira sofreu uma guinada quando foi designado para fazer reportagens investigativas. Em 1999, fez parte da equipe de criação do Linha Direta, do qual tornou-se apresentador.

Na Record TV, o jornalista apresentou o Cidade Alerta em duas ocasiões, entre 2004 e 2005, e de 2012 a 2017, além de ter comandado o Repórter Record e o quadro A Grande Reportagem, exibido pelo Domingo Espetacular. Trabalhou também na Rede TV! onde apresentou o Repórter Cidadão e o Rede TV! News. Na Band esteve a frente do Tribunal na TV.

No dia da estreia do novo Cidade Alerta, em 2012, Marcelo deu o tom do que o telespectador poderia esperar : “Nós não temos amigos, nem inimigos. Trabalhamos para o interesse público, o interesse da comunidade, o interesse da sociedade“.

Nessa nova fase do Cidade Alerta, a carreira do Marcelo também foi marcada pela inusitada interação com a equipe de jornalistas espalhada pelo Brasil. Descontração e alegria que contagiaram milhões de brasileiros e marcaram uma nova alternativa de informar os telespectadores.

 g1.globo.com/sao-paulo

Apresentador Marcelo Rezende tem falência múltipla dos órgãos

O apresentador Marcelo Rezende enfrenta o maior desafio da sua vida, internado desde a última terça-feira (12) em um hospital de São Paulo. O ex-âncora do “Cidade Alerta” teve falência múltipla dos órgãos e respira com a ajuda de aparelhos. A informação foi confirmada pelo site Purepeople.

O câncer além de levar complicações no pâncreas e fígado, “comprometeu parte do aparelho digestivo”. Nesta sexta-feira (15), a namorada de Rezende, Luciana Lacerda, deu indícios de que a situação do apresentador é praticamente irreversível. “O vazio ocupa um espaço imenso”, escreveu em sua rede social.

Vale lembrar que mesmo lutando contra câncer no fígado e pâncreas, Rezende optou por fazer um tratamento considerado natural ao invés da quimioterapia. Rezende passou a seguir uma dieta extremamente rígida e vinha oscilando bastante na disposição física.

http://valeemfoco18.blogspot.com.br

Assustador – Furacão Irma ataca a Flórida e faz o Mar entrar na Cidade causando destruição

www.youtube.com

BOATOS FALSOS: Uma quadrilha internacional está roubando crianças no Brasil?

Será verdadeiro o alerta espalhado pelas redes sociais sobre a existência de uma quadrilha internacional que está roubando crianças aqui no Brasil?

Quadrilha internacional estaria raptando crianças no Brasil! Será verdade? (foto: Reprodução/Facebook)

A notícia apareceu em vários sites na primeira semana de julho de 2017 e se espalhou através das redes sociais. De acordo com o alerta, um quadrilha internacional estaria sequestrando crianças em vários estados brasileiros, sobretudo no Paraná, usando um carro preto!

O texto ainda afirma que a região sul do país é o local preferido dos bandidos, pois lá existe uma predominância de crianças brancas, loiras e de olhos claros (que seria o biotipo mais parecido com o do europeu)!

Algumas das crianças raptadas, segundo o alerta, são usadas em rituais de magia negra e no tráfico de órgãos, enquanto outras são encaminhadas para adoção (de forma clandestina) no exterior!

O texto termina com uma dica importante: Nunca deixe seus filhos sem a companhia de um responsável!

Será que esse alerta é verdadeiro ou falso?

Verdade ou farsa?

Antes de começarmos a examinar essa história, é bom que fique claro que, seja lá a conclusão que chegarmos aqui, nunca deixe seus filhos sem a companhia de um responsável, ok?

Agora, vamos à nossa análise:

O texto alarmista foi publicado no site já conhecido aqui no E-farsas por disseminar notícias falsas, o Sociedade Oculta, no dia 03 de julho de 2017. Só por isso, já precisamos ficar com um pé atrás…

O autor desse alerta se baseou em um caso real para criar esse boato, o do menino Brayan Raab Fonseca, de 2 anos de idade, que desapareceu enquanto brincava com o seu cachorrinho, no quintal da chácara da família – em Curitiba (PR).

Essa tática de se misturar dados reais para trazer mais credibilidade para o fake news é uma das características de um boato digital.

Apuramos no site Desaparecidos do Brasil que a informação sobre o estado do Paraná ser o que mais sofre com crianças desaparecidas é mentira. Como você pode ver, o Paraná está em sexto lugar, com 26 desaparecidos. O estado com maior numero de crianças desaparecidas é o Rio de Janeiro com 110, seguido de Minas Gerais, com 88 crianças.

Não encontramos em nenhum site dados que confirmem um aumento no número de crianças desaparecidas. O jornal curitibano Gazeta do Povo explica que esses números podem ser até menores, visto que a maioria das famílias não dá baixa no boletim de ocorrência quando a criança é encontrada.

Pedido de desculpas

No dia 05 de junho de 2017, o próprio site Sociedade Oculta publicou uma nota se desculpando pelo “deslize” e explicou que:

“[…]Desta forma fica esclarecido que conforme informações seguras não esta (sic) havendo tráfico de crianças no Brasil, porem (sic) temos que ficar atentos a nossas crianças.[…]“

*SIC = advérbio latino que em português significa “assim”, “desse modo”,

Conclusão

O alerta sobre uma quadrilha internacional de sequestradores de crianças atuando no Paraná e no resto do Brasil é FALSA!

www.e-farsas.com

Coreia do Norte ameaça Estados Unidos com ‘maior dos sofrimentos’

Ameaça foi divulgada após EUA pedir que Conselho de Segurança da ONU vote novas sanções contra regime de Pyongyang por testes nucleares. ‘Medidas vão causar aos Estados Unidos o maior dos sofrimentos e dores de toda a sua história’, diz comunicado.

Kim Jong Un acompanha lançamento de míssil de médio alcance em foto divulgada em 30 de agosto pela agência estatal norte-coreana KCNA (Foto: Reuters/KCNA)
Kim Jong Un acompanha lançamento de míssil de médio alcance em foto divulgada em 30 de agosto pela agência estatal norte-coreana KCNA (Foto: Reuters/KCNA)

A Coreia do Norte advertiu nesta segunda-feira (11, horário local) aos Estados Unidos que lhe infligirá “o maior dos sofrimentos” se Washington prosseguir exortando a ONU a endurecer suas sanções contra Pyongyang após seu sexto teste nuclear.

Em comunicado reproduzido pela agência oficial KCNA, o ministério norte-coreano das Relações Exteriores adverte que se Washington “aplicar esta resolução ilegal sobre um endurecimento das sanções, a Coreia do Norte garantirá que os Estados Unidos paguem o preço“.

As medidas que adotarão vão causar aos Estados Unidos o maior dos sofrimentos e dores de toda a sua história“.

O mundo será testemunha de como a Coreia do Norte dobra os gângsteres americanos lançando uma série de ações mais duras do que se possa imaginar“.

Os Estados Unidos pediram formalmente na sexta-feira que o Conselho de Segurança da ONU vote na próxima segunda novas sanções contra a Coreia do Norte.

O projeto de resolução americano prevê um embargo sobre o petróleo, impedir a importação têxtil norte-coreana, congelar bens do líder Kim Jong-Un, expulsar cidadãos norte-coreanos que vivem no exterior e inspecionar navios suspeitos em alto mar.

O último teste nuclear norte-coreano ocorreu em 3 de setembro, após Pyongyang lançar 14 mísseis balísticos no decorrer de 2017, dois deles intercontinentais.

http://g1.globo.com/mundo

 

Tragédia na BR-101 mata 11 e deixa 9 feridos; entre as vítimas, estão membros de grupo de dança do ES

Acidente em Mimoso do Sul envolveu dois caminhões, um carro de passeio e o micro-ônibus que transportava o grupo Bergfreunde, de Domingos Martins.

Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Uma nova tragédia na BR-101, no Sul do Espírito Santo, matou 11 pessoas, entre elas, membros de um grupo de dança em um acidente que envolveu dois caminhões, um Ford Ka e um micro-ônibus, na tarde deste domingo (10), na altura do km 450 da rodovia federal, em Mimoso do Sul.

A suspeita é de que uma carreta carregada com granito tenha causado e dois motoristas foram ouvidos pela polícia. Uma perícia está sendo feita para apurar a causa desta fatalidade.

O micro-ônibus e um dos caminhões pegaram fogo. Todas as vítimas estavam no micro-ônibus. Nove faziam parte do grupo de dança Bergfreunde, de Domingos Martins, na região Serrana do estado, o motorista e o filho de uma das vítimas. Eles voltavam de uma apresentação em Juiz de Fora (MG).

Segundo a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), todos os corpos foram retirados do micro-ônibus e serão encaminhados para o DML de Vitória, na manhã desta segunda-feira (11). O serviço de perícia ainda não foi concluído. Três corpos foram encontrados do lado de fora do micro-ônibus.

Nove pessoas foram resgatadas pelos Bombeiros e pela Eco 101 e encaminhadas para a Santa Casa de Cachoeiro, segundo a Prefeitura de Domingos Martins e a PRF.

Feridos

Foram encaminhados para Santa Casa de Cachoeiro:

  • 6foram atendidos e liberados;
  • 1 se encontra no centro cirúrgico em virtude de fratura no antebraço
  • 1 com queimadura de 2° grau comprometendo 60% do corpo
  • 1 com escoriações diversas ainda em atendimento.

Não foi necessário a transferência de nenhum paciente.

O inspetor Macedo Miranda, chefe da Comunicação da PRF, falou com a reportagem do Gazeta Online e disse que não chovia no momento do acidente e que os dois sentidos da rodovia foram totalmente interditados.

A BR-101 ficou interditada até as 22h40 deste domingo. O incêndio voltou duas horas depois de controlado e atrasou a liberação da via, segundo a PRF. Um grande congestionamento se formou no local.

Dinâmica do acidente

Segundo a PRF, um caminhão carregado de placas de granito foi o causador do acidente. A polícia informou que o acidente aconteceu da seguinte forma:

  1. Um caminhão carregado com chapas de granito estava ultrapassando outro veículo, no sentido Rio, quando perdeu o controle, invadiu a contra mão e colidiu com o micro-ônibus que vinha em sentido contrário.
  2. O micro-ônibus, após ser atingido, invadiu a contra mão e bateu na carreta com cerveja. Os dois veículos pegaram fogo.
  3. O Ford Ka, em seguida, colidiu com os pedaços de granito espalhados na via. O caminhão com granito foi apreendido para perícia.
 (Foto: Arte/ G1)
(Foto: Arte/ G1)

A PRF informou que os motoristas do caminhão, da carreta e do automóvel foram encaminhados para o DPJ de Cachoeiro de Itapemirim. O caminhoneiro que conduzia a carreta com granito não foi detido pela PRF e, agora, o delegado vai decidir sobre o indiciamento ou não do motorista causador do acidente.

Vítima

O Ednor Bispo Pereira era o motorista da carreta com cerveja que vinha atrás da carreta com as chapas de granito. Ele conseguiu sair do caminhão antes do fogo começar. Ele disse que tentou ainda tirar passageiros do micro-ônibus.

Na hora que bateu em mim, achei que fosse morrer. Quando saí, vi que estava pegando fogo. Ajudei a puxar uma pessoa. Tinha gente viva que não conseguiu sair do ônibus“, disse o caminhoneiro, à reportagem da TV Gazeta.

“Ouvi alguns gritos. Eu via morte na minha beira”, disse Ednor Bispo Pereira.

Ednor Bispo Pereira era o motorista do caminhão que vinha atrás da carreta com as chapas de granito (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Ednor Bispo Pereira era o motorista do caminhão que vinha atrás da carreta com as chapas de granito (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Grupo de dança

O grupo de dança Bergfreunde era formado por casais de dançarinos com idades entre 17 e 42 anos. A vítimas fizeram apresentações na 23ª edição da Deutsches Fest. Eles saíram de Domingos Martins na sexta-feira (8) com destino a Juíz de Fora, em Minas Gerais.

Grupo de dança que morreu em tragédia na BR-101 (Foto: Reprodução/ Facebook)
Grupo de dança que morreu em tragédia na BR-101 (Foto: Reprodução/ Facebook)

O músico Éden Schambach Júnior, 48 anos, participou dos ensaios para a apresentação em Minas Gerais, mas não viajou com o grupo por conta de um compromisso na cidade. “Estavam todos felizes nos ensaios. Não fui por causa do meu show com o padre na comunidade de Santa Isabel. Estamos chocados”, lamentou, em entrevista ao Gazeta Online.

Ainda segundo Éden, o veículo no qual os dançarinos estavam foi alugado com recursos do Edital de Locomoção da Secretaria Estadual de Cultura (Secult). Reunidos no evento religioso, os moradores fizeram orações e um minuto de silêncio, em homenagem às vítimas.

Tragédia na BR-101 mata 11 pessoas no Espírito Santo (Foto: Divulgação/ Notaer)
Tragédia na BR-101 mata 11 pessoas no Espírito Santo (Foto: Divulgação/ Notaer)

Luto

O governador Paulo Hartung decretou luto oficial de três dias. “Estamos profundamente tristes. Tenho imenso carinho pelos integrantes do grupo Bergfreunde de Campinho, que foi o primeiro grupo folclórico alemão no Espírito Santo. Esse acidente representa uma perda enorme para o nosso estado”, disse Hartung.

Tragédia em Guarapari

Em julho, a BR-101 foi o local da maior tragédia rodoviária do Espírito Santo, quando 22 pessoas morreram e 21 ficaram feridas em um acidente envolvendo envolvendo duas ambulâncias, uma carreta e um ônibus de viagem no km 343 da BR-101, em Guarapari, na Grande Vitória.

Cenas da tragédia em Mimoso do Sul

Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Feridos em tragédia na BR-101, no Espírito Santo (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Feridos em tragédia na BR-101, no Espírito Santo (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Tragédia na BR-101, em Mimoso do Sul, mata membros de grupo de dança (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Acidente na BR-101 matou 11 pessoas (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)
Acidente na BR-101 matou 11 pessoas (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

http://g1.globo.com/espirito-santo

Petrobras anuncia novo aumento da gasolina, agora de 2,6% e o diesel em 1,5%

A Petrobras elevará o preço da gasolina nas refinarias em 2,6% e o diesel em 1,5% a partir deste sábado (9).
A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a estatal espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores. Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente. Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais.
No último movimento de preços, anunciado na quarta-feira (06), a Petrobras havia reduzido a gasolina em 3,8%, após uma série de aumentos em decorrência dos efeitos da tempestade Harvey nos Estados Unidos.
http://www.divulgapetrolina.com
salgueirococo
acesso
IMG-20160512-WA0012

Salgueiro-PE: 1º Trilhão de Amigos